segunda-feira, setembro 28, 2009

Div.Acesso: Caçador implacável. Operários idem.

Foto: Silvio Kohler - Stadion: Maga 0 x 5 Caçador ontem a tarde em Indaial.
Operários Mafrenses e Caçador terminaram no Grupo A nas duas primeiras fases da Divisão de Acesso com apenas 4 pontos perdidos e justamente pelos empates entre ambos, no Turno e no Returno da competição. Fora isso, várias goleadas sobre os outros dois participantes do Grupo, Oeste Esporte Clube de Chapecó e Associação Maga Esporte Clube de Indaial.
Ontem não foi diferente. Dois massacres na última rodada do Returno e o título (favorável ao Operários tal qual no Turno) ficou para Mafra no saldo de gols.
Em Indaial no 'estadinho' (foto) da Associação Unidos da Cohab, o Caçador mandou ver para cima da Maga (combinação dos nomes Mario e Gabrielli - do escritório do clube na Europa - segundo informação recebida do Augusto 'Guto' Itner do Blog Os Outros do Futebol de Santa Catarina) e disparou mais uma goleada. 5 x 0.
O camisa 11 Alcione foi o matador na tarde chuvosa e no gramado encharcado do 'Jorge Hardt'. Ele balançou as redes da Maga 4 vezez. Maicon (que entrou no jogo na metade da etapa final) marcou o dele antes de ser expulso por entrada faltosa sobre um atleta Maguense. O placar final mostrou a superioridade do 'Tricolor do Contestado' e mais que isso: A Maga encerrou sua participação (na 1ª competição profissional em que se inscreveu) sem conseguir 1 ponto sequer. Fato inédito no futebol Catarinense. Pelo menos nos últimos anos.
Em Mafra, o 'massacre' foi maior ainda. 7 x 0 do Operários Mafrenses sobre o Oeste de Chapecó. Ainda não temos os 'artilheiros' da tarde de chuva de gols no 'Pedra Amarela' mas, a comemoração dos torcedores Operarianos foi grande.

2 comentários:

Anônimo disse...

isso é futebol de cmapo ou futsal? rs rs rs

Rafael disse...

Caraca... quanto ódio que esse cara tem do Maga. Tem um prazer enorme de falar mal. Deve se gozar todo só de ver o Maga levando gol, né?
É por esse tipo de comportamento, menosprezo pelos demais, e falta de humildade, que o Metropolitano não engrena.